+351 914 132 130 info@growunder.com
O que são infoprodutos e como os vender

O que são infoprodutos e como os vender

A nossa vida passa-se, cada vez mais, no universo online. Do teletrabalho às compras, passando pela informação que consumimos. Venha descobrir o que são infoprodutos e como é que eles se encaixam neste processo…

Já ouviu falar em infoprodutos? Estamos no campo da informação online e da forma como esta é distribuída pelas diversas plataformas existentes.

Em termos simplistas, infoprodutos são materiais de informação em formato digital. Podem conter dados para esclarecer as pessoas, para resolver problemas, apontar dicas úteis ou divulgar produtos e/ou serviços, entre outras situações.

Mas continue a leitura para saber mais sobre o assunto...

 

Afinal, o que são infoprodutos?

Ora, portanto, os infoprodutos são produtos digitais que são divulgados online de forma gratuita ou paga. Podem assumir a forma de textos, vídeos ou áudios e a sua grande mais-valia é o facto de fornecerem informação relevante e interessante para download.

Há uma panóplia de infoprodutos que podem ser vendidos na Internet para abordar quase todo o tipo de assuntos. 

A grande vantagem é que têm alta escalabilidade, o que significa que os lucros podem atingir proporções bem mais elevadas do que se fossem simples produtos comercializados na vida real, uma vez que o mercado da Internet é potencialmente infinito.

 

Exemplos de infoprodutos

Cursos online e ebooks são apenas dois exemplos de infoprodutos que são utilizados com sucesso. Confirme, já de seguida, outros exemplos...

  • Ebooks

Os livros digitais ou ebooks são ferramentas de sucesso no universo digital, sendo muito utilizados em cursos online, mas também noutros sectores.

Trata-se de um tipo de infoproduto bastante fácil de elaborar e de distribuir, pois podem ser entregues de forma imediata ao cliente, logo que estes cumpram os requisitos para fazerem o respetivo download.

Além disso, depois desse download, ficam disponíveis para acesso em qualquer tipo de dispositivo que contenha o arquivo e nem é preciso estar online para o efeito.

  • Cursos Online

O Ensino à distância ou e-learning tem crescido muito nos últimos anos, uma tendência que a pandemia está a reforçar ainda mais. 

Assim, os cursos online tornaram-se bastante abrangentes, chegando a áreas muito distintas que vão do marketing digital à operação de máquinas de construção civil.

No âmbito dos cursos online, os ebooks são, muitas vezes, ferramentas utilizadas, pois permitem uma entrega fácil de conhecimento.

Contudo, planear e implementar um curso online é desafiante e exige que as pessoas envolvidas sejam referências ou tenham um currículo reconhecido na área da formação disponibilizada.

  • Vídeo-aulas

Os vídeos são os conteúdos de maior sucesso na Internet e, portanto, apostar em vídeo-aulas é outra estratégia muito utilizada no e-learning.

As vídeo-aulas constituem, assim, infoprodutos com muito potencial, agregando a facilidade de visualização e de apreensão de conteúdos com o poder da informação valiosa. A aprendizagem é facilitada, o que despoleta maior interesse dos potenciais interessados.

A parte mais complicada pode ser a produção dos vídeos, o que requer alguns conhecimentos técnicos para que o produto final tenha qualidade. Contudo, atualmente, já há várias ferramentas que agilizam o processo.

  • Audiobooks

Outro infoproduto interessante para o universo dos cursos online são os audiobooks ou livros narrados em formato mp3. Esta opção é também uma excelente alternativa para as pessoas se interessam pouco pela leitura.

A facilidade de acesso a este tipo de conteúdos é uma das suas mais-valias. Pode ir ouvindo o seu audiobook durante um passeio, numa viagem de carro, nas filas de trânsito ou até no ginásio!

No universo do e-learning, há audiobooks que são resumos dos grandes manuais das áreas lecionadas, apresentando-se também como uma forma de poupar tempo aos seus formandos.

Por outro lado, a gravação dos audiobooks é fácil mesmo para quem percebe pouco do assunto, bastando para isso um microfone de boa qualidade e um local sem ruídos.

  • Podcasts

Os podcasts são outro tipo de infoproduto que está muito na moda nos dias que correm! Trata-se de uma espécie de programa de rádio, mas em formato digital. 

Podem revelar entrevistas a determinadas pessoas, como é o caso do famoso podcast do actor Rui Unas intitulado "Maluco Beleza". 

Aproveite para espreitar o podcast de Rui Unas com a participação de César Mourão, comediante e apresentador da SIC…

Mas os pdocasts também podem ser gravações de debates ou de monólogos, em que uma pessoa fala sobre um determinado tema ou, simplesmente, partilha a música de que gosta.

Tal como os audiobooks, têm a vantagem de poderem ser ouvidos em qualquer lugar e a partir de múltiplos dispositivos, nomeadamente um smartphone.

  • Screencasts

Os screencasts são, basicamente, vídeos filmados a partir da tela do computador. Muitas vezesm, são usados como tutoriais para explicar como se usa um determinado software ou programa.

São um infoproduto bem fácil de elaborar, mas ainda assim, precisará de um bom microfone para registar a voz que narra o conteúdo, pois é preciso contextualizar e explicar as imagens gravadas da tela do computador.

Para que o screencast fique mais apelativo, pode acrescentar uma banda sonora inspiradora.

  • Membership

A opção de membership refere-se à possibilidade de programas ou áreas de um site exclusivas para membros registados, com acesso a conteúdos premium com o pagamento de uma quota de adesão. 

Trata-se de um tipo de infoproduto que é muito utilizado no âmbito de programas de coaching online ou de e-learning, permitindo a partilha de todo o tipo de conteúdos nestas áreas ou espaços acessíveis apenas a utilizadores autorizados.

Para terem sucesso, é preciso que os benefícios oferecidos aos membros exclusivos sejam irresistíveis, para levar os utilizadores a aderirem.

  • Revistas e jornais digitais

Há cada vez mais jornais a disponibilizarem aos seus leitores conteúdos premium pagos ou edições especiais de jornais online sujeitas a subscrição. O mesmo se passa com as chamadas e-Magazines ou e-Zines, ou seja, as revistas eletrónicas. 

Também há revistas físicas que permitem aos seus leitores assinarem uma edição online, o que facilita o acesso aos conteúdos em qualquer lugar.

Este modelo assenta na fidelidade dos leitores e parte de um princípio de qualidade do conteúdo oferecido. Os utilizadores precisam de valorizar o conteúdo a ponto de pagarem por ele.

  • Kits

Os kits com conjuntos de produtos digitais são outro infoproduto que é utilizado no domínio da comunicação empresarial e do marketing, nomeadamente para a divulgação de marcas ou serviços.

Estes kits podem integrar vários tipos de infopropdutos, como por exemplo, ebooks, vídeo-aulas e screencasts, entre outros, com arquivos em formato digital que podem ser distribuídos, por exemplo, em cursos online.

O tipo de público-alvo desta solução é muito mais restrito, pois é preciso que sejam pessoas interessadas em obter uma informação muito completa e rica.

  • Whitepapers

Os whitepapers são outro infoproduto muito utilizado, surgindo como uma espécie de evolução do ebook, mas num formato mais extenso.

Esta opção passa por apresentar um tipo de conteúdo mais aprofundado, incluindo dados científicos, como pesquisas, estatísticas e outros. 

Assim, é um texto mais académico que tem um público-alvo muito específico e especialmente interessado no tema.

O que sao infoprodutos 2

  • Webinars

Os webinars são a versão digital das palestras ou conferências, tirando partido do facto de a Internet permitir um público praticamente ilimitado.

Podem ser feitos com fins comerciais, informativos ou educativos, por exemplo para demonstrar um novo produto ou falar de um assunto que interessa à sua empresa, para que esta surja como uma autoridade na área.

O principal desafio, neste caso, será garantir a adesão do público-alvo. Além disso, realizar webinars exige muita preparação e planeamento.

  • Infográficos

Os infográficos são outra forma de apresentar informação relevante e interessante, mas de uma forma mais apelativa, com recurso a gráficos e imagens. 

No final de contas, os infográficos resultam numa espécie de cartazes digitais. São muito utilizados pelos jornais, por exemplo, para ilustrarem dados estatísticos de modo a que sejam de fácil leitura. Assentam na perceção visual e na passagem imediata dos conteúdos.

Há plataformas muito fáceis de utilizar como o Canva que incluem templates pré-definidos, onde basta alterar as imagens e o texto para ir de encontro ao que pretendemos.

  • Plugins e apps

O desenvolvimento de ferramentas informáticas, como por exemplo, plugins, extensões, apps ou programas de computador e software diverso, é outra forma de apostar em infoprodutos com grande procura.

A criação de templates, ou seja, de modelos ou estruturas pré-definidas para a criação de conteúdos, também se encaixam nesta categoria. 

Estão em causa, nomeadamente, templates para emails, páginas de blogs e call to actions, entre outros, que permitem trabalhar numa "moldura" pré-definida, para alterar apenas algumas informações ou configurações.

Estes infoprodutos podem ser distribuídos online e vendidos. Mas para apostar neles é preciso ser web developer ou ter um na equipa.

 

Como criar um infoproduto 

Agora que já descobriu mais sobre esta solução digital, só precisa de deitar mãos à obra para começar a rentabilizar as suas ideias. Mas, afinal, sabe como criar um infoproduto?

A sua cabeça poderá já ter várias ideias e saltarem, mas precisa, em primeiro lugar, de ter um plano para conseguir alcançar os objetivos desejados.

Veja o vídeo que se segue para ficar com algumas orientações de como criar um infoproduto do zero...

Mas venha ainda entender quais são as fases essenciais para o desenvolvimento de infoprodutos de sucesso...

1. Escolha um tema

O tema é essencial para conseguir atrair um público interessado. Pode aproveitar algum tópico relacionado com as suas competências, por exemplo se for alguma área onde possa afirmar-se como autoridade ou referência de conhecimento.

Certo é que tem de ser algo apelativo, pelo menos a um determinado público-alvo. Pois, ter o melhor infoproduto do mundo vale zero sem ter quem o queira adquirir.

2. Aposte no formato ideal

A escolha do formato do infoproduto depende muito do público-alvo e do tema que estiver em causa. Por isso, deve começar por definir a sua persona, ou seja, o perfil das pessoas a quem quer chegar, pois o conceito será determinado pelas suas características.

Veja que pode fazer mais sentido apostar em conceitos visuais e imediatos para um determinado tipo de público, enquanto outro poderá preferir soluções com mais texto.

Além disso, deve ponderar também os recursos que tem à disposição, bem como o investimento que pode fazer.

3. Prepare-se com muita pesquisa

A forma de conseguir um bom infoproduto é conhecer tudo o que há a saber sobre o tema envolvido. 

Assim, precisa de fazer muita pesquisa sobre o assunto, de modo a conseguir alinhavar o melhor conteúdo possível, nomeadamente para o conseguir diferenciar da concorrência.

4. Faça um esboço do produto final

Logo que tenha uma ideia definida do que pretende fazer, é boa ideia fazer um esboço do seu projeto. 

Desta forma, evita perder-se no meio dos seus planos e, além disso, pode afinar pormenores de que nem se tinha lembrado. 

Esta é uma boa forma de garantir que tudo decorre da melhor forma, sem esquecimentos e sem falhas pelo meio.

5. Elabore o conteúdo

Na fase da produção do conteúdo, tudo deverá decorrer sem hesitações ou erros, até porque planeou tudo, certo?

É importante que esteja totalmente seguro do que quer fazer quando entrar nesta fase.

Também é importante editar e rever todo o conteúdo, para verificar se há erros ou lapsos. 

Se tiver oportunidade, mostre-o a uma ou duas pessoas externas ao projeto para opinarem sobre ele - será uma boa forma de detetar eventuais enganos ou falhas de comunicação.

6. Partilhe o seu infoproduto

Agora que está tudo pronto, é hora de divulgar o infoproduto a que se dedicou com tanto esmero. Isso pode acontecer de várias formas, como, por exemplo, através de um blogue, das redes sociais, de email marketing ou de uma landing page.

As landing pages são criadas para gerar algum tipo de conversão que pode ser o download de um infoproduto, em troca dos seus dados ou de um pagamento. São um recurso muito usado no marketing digital, mas é fundamental que tenham uma excelente Call To Action.

O que é importante é que procure divulgar o seu infoproduto o mais possível para se transformar num empreendedor digital.

 

Concluindo...

Agora que já sabe o que são infoprodutos, entendeu que é uma missão que exige muito planeamento e mestria. Todavia, o resultado pode ser bastante vantajoso. 

Quando bem elaboradas, estas soluções digitais revelam-se muito rentáveis. Está preparado para este desafio?

logo growunder white 223x45px

Somos uma empresa formada por colaboradores que trabalham remotamente, focada e especializada na consultoria e administração de websites.

Contactos

Av da República 6-1Esq
1050-191 Lisboa
Portugal